Telefone: (62) 3233-0010 Email: stiueg@uol.com.br Contato Hino STIUEG

Leia..

Em Goiânia, 21,5% são hipertensos

Salve e compartilhe
27/04/2011

No Brasil doença atinge 23,3% da população, segundo estudo do ministério da saúde
Camila Blumenschein
A hipertensão arterial atinge 23,3% da população brasileira. O número foi obtido em estudo realizado pelo Ministério da Saúde e divulgado ontem, Dia Nacional da Prevenção e Controle da Hipertensão Arterial. A pesquisa mostrou que a proporção de brasileiros diagnosticados com hipertensão arterial aumentou nos últimos cinco anos, passando de 21,6%, em 2006 para 23,3%, em 2010. Em Goiânia o número de hipertensos também aumentou de 18,9% para 21,5% no mesmo período.
Os dados fazem parte da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), pesquisa realizada anualmente, desde 2006, pelo Ministério da Saúde. Em 2010, foram entrevistados 54.339 adultos, nas 26 capitais brasileiras e no Distrito Federal.

A hipertensão arterial é uma doença crônica, com forte traço familiar, caracterizada pela elevação dos níveis de pressão arterial para acima de 14 por 9, segundo o cardiologista Arnaldo Porto. "Hábitos como sedentarismo, alimentação ruim (o que leva à obesidade) e rica em sal, favorecem a manifestação da predisposição genética, ou seja, o surgimento da doença", enfatiza. Uma pessoa que não possui predisposição genética, mas mantém esses hábitos ruins também pode se tornar hipertensa. Segundo o médico, a hipertensão associada a fatores de risco causam a aterosclerose (depósito de gordura na parede das artérias), que favorece outras doenças como derrame, enfarte, trombose, insuficiência renal crônica, insuficiência cardíaca e cegueira. "A pessoa hipertensa precisa controlar o peso, diminuir o sal da dieta e o estresse e fazer exercícios regularmente", aconselha.
Envelhecimento
Conforme foi verificado na pesquisa, no Brasil, o diagnóstico de hipertensão arterial se torna mais comum com a idade, alcançando cerca de 8% dos indivíduos entre os 18 e 24 anos de idade e mais de 50% na faixa etária de 55 anos ou mais. Segundo Arnaldo Porto, o envelhecimento é uma causa de aumento dos níveis de pressão arterial. "As pessoas mais velhas também são mais sedentárias e muitas ganham mais peso com o tempo", explicou.
A pesquisa também revelou que o diagnóstico de hipertensão é maior em mulheres. Elas representam 25,5% da população brasileira, enquanto os homens representam 20,7%. Em Goiânia a pesquisa também revelou que as mulheres são mais acometidas pela doença do que os homens, com 22,9% contra 20%.
Segundo o ministro da Saúde Alexandre Padilha, a diferença entre os sexos ocorre porque as mulheres buscam mais os serviços de saúde do que os homens. Para o cardiologista Arnaldo Porto, existem também outras razões que justificam a maior incidência da doença entre as mulheres. "Como o envelhecimento aumenta as chances da pessoa ser hipertensa, uma explicação pode ser o fato de que a mulher brasileira vive mais do que o homem, o que é comprovado. A mudança dos hábitos de vida das mulheres, que estão mais independentes, também mostra que há maior incidência de estresse e obesidade entre elas, e consequentemente o surgimento da hipertensão", destaca.
O geógrafo João Menezes Teixeira, de 50 anos, descobriu que era hipertenso há 15 anos, quando precisou medir a pressão antes de uma partida de futebol. "Eununca tinha sentido nada e naquele dia a pressão deu 15 por 9. Procurei o médico que constatou a hipertensão, já que a minha pressão sempre estava alta" conta. Desde então, João Menezes passou a tomar medicamento controlado e a fazer exercícios físicos. "Nunca tive problemas, mas também tento fazer tudo certo e nunca deixo de tomar meu remédio", diz.
Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente medicamentos necessários para o controle da hipertensão arterial. O programa Aqui Tem Farmácia Popular também ampliou a gratuidade de medicamentos para hipertensos. Hoje, são mais de 15 mil farmácias e drogarias conveniadas ao programa.
Sob risco
Números da doença no País e cuidados a serem tomados:
HIPERTENSOS (EM%)

Brasil 23,3%
Mulheres 25,5%
Homens 20,7%
Goiânia 21,5%
Mulheres 22,9%
Homens 20%
CUIDADOS QUE DEVEM SER SEGUIDOS PELOS HIPERTENSOS PARA EVITAR COMPLICAÇÕES:

- Diminuir o sal da dieta
- Praticar exercícios regularmente
- Controlar o peso
- Diminuir o nível de estresse
Fonte: Os números são do Estudo Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) realizado pelo Ministério da Saúde.¢Ì

Fonte: O Popular

Destaques

Newsletter

Stiueg

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás (STIUEG) teve seu início no ano de 1949, com a criação da Associação dos Funcionários da CELG. O segundo passo importante dessa história foi dado com a extensão de base para a Associação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás...

Onde estamos

® STIUEG.ORG.BR
Rua R-2 nº 210 Setor Oeste
Goiânia - Goiás CEP: 74125-030
Telefone: (62) 3233-0010
Email: stiueg@uol.com.br

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Supera Web X