Telefone: (62) 3233-0010 Email: stiueg@uol.com.br Contato Hino STIUEG

Leia..

Odebrecht culpa terceirizada por acidente fatal

Salve e compartilhe
05/08/2014

A Odebrecht realizou estudo particular para apresentar a suposta causa do acidente que vitimou os funcionários nas obras de construção do Itaquerão, em 27 de novembro de 2013. O relatório feito pela empreiteira, assinado pelo engenheiro Fernando Mattos, responsabiliza a Locar (que realizava o serviço de guindaste) pela queda de estrutura metálica em uma das colunas do estádio e desabamento do solo, que mataram Fabio Luiz Pereira, 42 anos, e Ronaldo dos Santos, 44.

Segundo o estudo da Odebrecht, a Locar excedeu o limite máximo de peso na operação do guindaste no local, descumprindo plano de operação estabelecido anteriormente pela empreiteira.

As duas empresas emitiram nota oficial (abaixo). A Locar comunica que o acidente foi causado em virtude da instabilidade do solo e se baseia em perícia do Instituto de Criminalística para comprovar o problema no piso. Por sua vez, a Odebrecht afirma que o desabamento ocorreu devido ao peso do equipamento da Locar muito acima do estabelecido.

UOL Esporte teve acesso ao conteúdo do relatório da Odebrecht. É informado que o peso considerado ideal na área onde houve a tragédia era de até 429 toneladas-força, sendo aceitável até 460 toneladas-força. Mas o guindaste, somado ao trabalho de içamento das colunas, representaram 500 toneladas-força, indica laudo da Odebrecht.

"Ela [Locar] não o seguiu no tocante à configuração da máquina, que apresentava um peso de 500 toneladas-força de lastros suspensos no 'ballast' e não as 460 toneladas-força claramente especificadas", apresenta o laudo da empreiteira.

O laudo da Odebrecht indica que a empreiteira seguiu a fiscalização nos procedimentos de operação da coluna, frisa que o piso era firme para serviços de tamanha magnitude, mas diz que o alerta do peso excedido na configuração da máquina era dever do sistema do guindaste operado pela Locar.

"Não nos foi possível compreender como o operador e/ou o supervisor da Locar decidiram prosseguir na operação (...)Só vemos duas hipóteses possíveis: ou o sistema estava fora de operação, ou os avisos foram desconsiderados, assumindo-se então o risco de prosseguir com a manobra", complementa o relatório.

Bruno Thadeu / Do UOL, em São Paulo

Laudo da Odebrecht não muda decisão da Polícia

Com base em laudo de 160 páginas do Instituto de Criminalística, o delegado Luiz Antonio da Cruz considerou que a parte superior do solo foi insuficiente para suportar o peso. O delegado entende que o laudo da Odebrecht não muda a decisão de responsabilizar as duas empresas (Odebrecht e Locar).

Polícia Civil indiciou nove pessoas, sendo sete funcionários da Odebrecht e duas da Locar. O inquérito será encaminhado à Justiça até o fim de agosto.

"A Odebrecht está no direito de se defender, mas concluímos com base em estudo de que houve negligência, imperícia e imprudência por parte da Odebrecht e Locar na operação que acabou causando o desabamento do solo e morte de duas pessoas. A Odebrecht atribui a culpa à terceirizada, mas ela também tem culpa por não ter fiscalizado a situação irregular do guindaste", disse o delegado.

Destaques

Newsletter

Stiueg

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás (STIUEG) teve seu início no ano de 1949, com a criação da Associação dos Funcionários da CELG. O segundo passo importante dessa história foi dado com a extensão de base para a Associação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás...

Onde estamos

® STIUEG.ORG.BR
Rua R-2 nº 210 Setor Oeste
Goiânia - Goiás CEP: 74125-030
Telefone: (62) 3233-0010
Email: stiueg@uol.com.br

Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Supera Web X